sexta-feira, 11 de setembro de 2009


Há outros.
Foi nas noites da alma;
em dias...distante.
Que num gritante...silêncio,
com passos vagos, passava: o invisível viajante.
Fechado por muros que levantou, buscava sem sucesso...a grade fuga... da mais segura, obscura e terrível prisão.
E até chegava a achar justa sua pena. Não merecia pena. Mas, agora, do alto da torre de seu castelo de sonhos, prepara-se: vai mergular...é livre...sempre foi.
(Biano Ruiz)

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

De volta ao mundo cibernético!!!