segunda-feira, 23 de março de 2009

Impossibilidade do Amor Fati III


Por Mariana Tatos

Num emaranhado turbulento metropolitano, onde uma sociedade obscura, parasitária, de vidinhas ordinárias materialistas, condicionadas nas mesmices tolas monótonas diárias, eis que surge você! Propriamente você num todo só seu, reluzente, omnipresente por 12hs a um hemisfério, transparecendo cores extasiadas diversas em todos os dias da rotação Terrena...energizando convite sedutor aos homens a sua natureza real, ou real natureza, metafísica ou translúcida...
Enquanto o tempo passa, sua órbita vai se deslocando, me inquieta uma dúvida pertubadora ...quantas vivências e percepções ilusionárias necessita para a desnudez de conscîencia humana?

Nenhum comentário:

Postar um comentário